sexta-feira, 20 de junho de 2008

Saudade dos verdadeiros amigos




Hoje acordei embriagada pela saudade,
quase me afogando em pura nostalgia.
Hoje desmoronei diante da verdade,
e senti falta daquela nossa velha magia.

Hoje não acordei inteira, era metade,
metade do que sou todo dia, metade alegria.
Hoje mais que sempre perdi a liberdade,
e fiquei presa na minha melancolia.

Hoje vim só para vos jurar amizade,
e vos lembrar de nossos tempos de folia.
Hoje me pareceu mentira a minha realidade,
e percebi que me perdera na minha fantasia.

Hoje experimentei com grande intensidade,
esse sentimento que nos paralisa, anestesia.
Hoje me curvei sem saída, sem possibilidade,
diante da minha saudade culposa, sem anistia.

5 comentários:

Geraldo Maia disse...

Olá estimada Omahira,
Hoje, também tive vontade de revisitar o teu espaço. Gostaria de te informar que agora também tenho um blog só de imagens.
Creio que são belas imagens e gostaria de te convidar a conhecer.
Seus poemas são muito belos.
Do Brasil:
Geraldo

Jaque Amorim.. disse...

Poemas lindos, lindos, lindos!

Jaque Amorim

Anastácio Soberbo disse...

Olá, gosto do Blogue.
É bonito e bem feito.
Quem corre por gosto não cansa. Parabéns!
Saudações de,
Soberbo

Zigiefrid ou Rubéns disse...

oi xuxu, óia eu aqui tumém.
adoro seus poemas...
xeru na alma.

Kelly Cristina disse...

Caracaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...!!

Uruuuuuuuuuu só podia ser ela..!!

Muuuuuuuuito massa, até deu inspiração para escrever...!! kkkkkkkk...

Muito show..!!

Parabéns...!!!

Bjão!!!